Celso Vieira

Paulistano de nascimento e soteropolitano de coração, Celso Vieira é chef de cozinha há 30 anos, formado pelo Senac-SP e pelo ICIF – Italian Culinary Institute for Foreigners, no Piemonte, Itália. Fundador do Pasta em Casa junto à sua mulher e sócia, Valeska Chálabi, é também professor do curso de Gastronomia da UFBA e tradutor de livros de gastronomia para as Editoras Abril e Martins Fontes.

Agitador cultural, desde 2018 levou para Salvador a tradicional festa popular em homenagem a San Gennaro, padroeiro da cidade de Nápoles, Sul da Itália, uma celebração gastronômica que acontece no mês de setembro na rua do Pasta em Casa e chega a reunir mais de cinco mil pessoas.

Valeska Chálabi

O senso estético e olhar sempre voltado para o belo foram herança do vô libanês – que trouxe da rota da seda de sua infância, as memórias e inspiração para a criação do seu Bazar Imperial em Caratinga (MG), onde a menina cresceu entre o frufru dos mais nobres tecidos, para depois trabalhar por muitos anos como produtora de moda, antes de tornar-se empresária.

Valeska é o olhar do Pasta. A identidade impressa em cada detalhe, a curadoria; as relações interpessoais de alma e corpo presente, o guardanapo de bolinhas, o frescor do jardim, o plano mirabolante para encantar, diariamente, os clientes e amigos da casa.

Leandro dos Santos

O Leo saiu de Antas, no inteiror da Bahia, aos 18 anos em busca do sonho de progresso na paulicéia. Seu primeiro trabalho foi num grande restaurante, lavando pratos. Magricela, chegou a causar dúvidas ao seu chefe quanto à sua resistência física para o trabalho intenso, mas só precisou de dois meses para sair definitivamente dos pratos. Destacou-se pela agilidade, esperteza e comprometimento; começou a ser promovido rapidamente, e em cinco anos galgou todas as etapas de cozinheiro até se tornar o chef de cozinha principal da casa.

Um encontro com Celso e Valeska na Bahia, quando o Pasta em Casa já despontava como sucesso, viria a firmar uma parceria perfeita entre os três, e um ano depois voltou definitivamente para Salvador como chef de produção do restaurante e rotisserie, reforçando a qualidade e a presença dos produtos no cotidiano dos soteropolitanos. 

Sua marca está no dia-a-dia da cozinha, na precisão técnica e na busca pelo sabor que explode na boca dos clientes do Pasta.